Estilo: Hippie

Oi, como vai você?
Ontem não postei, eu sei, eu sei. Geralmente eu posto pela noite, mas ontem eu fui ver minhas amigas para conversarmos e rirmos um pouco, não tinha visto as visto desde que voltei de viagem. Ai matamos a saudade, comemos e falamos demaaaais. Meninas, hahaha.
 
Hoje vim falar sobre o estilo hippie. Let’s go. Ah, vou dividir esse tema em duas partes: a primeira parte será mais histórica, a segunda será sobre roupas.
 

 

História

Image du Blog mabulle78.centerblog.net

 
Os “hippies” eram parte do movimento de contracultura dos anos 1960. Embora tendo uma relativa queda de popularidade nos anos 1970 nos EUA, o movimento apenas ganhou mais força em países como o Brasil somente nessa década.

Uma das frases idiomáticas associada a este movimento foi “Paz e Amor” que precedeu a expressão “Ban the Bomb”, a qual criticava o uso de armas nucleares.

As questões ambientais, a prática de nudismo, e a emancipação sexual eram ideias respeitadas recorrentemente por estas comunidades.

Adotavam um modo de vida comunitário, tendendo a uma espécie de socialismo-libertário ou estilo de vida nômade e à vida em comunhão com a natureza, negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietnã, bem como todas as guerras, abraçavam aspectos de religiões como o budismo, hinduísmo, e/ou as religiões das culturas nativas norte-americanas e estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana e das economias capitalistas extremistas e totalitárias. Eles enxergavam o patriarcalismo, o militarismo, o poder governamental, as corporações industriais, a massificação, o capitalismo, o autoritarismo e os valores sociais tradicionais como parte de uma “instituição” única, e que não tinha legitimidade. (Fonte: Wikipedia)
 
Características

“Lançar bombas pela paz é como transar pela virgindade.”


 
– Amor livre e sem distinções.

– Ideais anarquistas de comunidades igualitárias e total liberdade não violenta.

– Rejeição à produtos industrializados, consumo de produtos artesanais, principalmente na alimentação a opção por produtos naturais e orgânicos.

– Vida em comunidades onde o capitalismo é deixado de lado.  Por exemplo, todos os moradores exercem uma função dentro da comunidade, as decisões são tomadas em conjunto, normalmente é praticada a agricultura de subsistência e o comércio entre os moradores é realizado através da troca.

– O incenso e meditação são parte integrante da cultura hippie pelo seu caráter simbólico e quase religiosos;

– Culto pelo prazer livre, seja ele físico, sexual ou intelectual.
 

 
– Repúdio à ganância e à falsidade.

– Quanto à participação política, mostravam algum interesse, mas nunca de maneira tradicional. Eram adeptos do pacifismo e, contrários à guerra do Vietnã, participaram de algumas manifestações anti-guerra dos anos 60, não todas, como se acredita. Nos EUA, pregaram o “poder para o povo”. Muitos não se envolvem em qualquer tipo de manifestação política por privilegiarem muito mais o bem estar da alma e do indivíduo, mas assumem uma postura tendente à esquerda, geralmente elevando ideais anarquistas ou socialistas. São contra qualquer tipo de autoritarismo e preocupados com as questões sociais como a discriminação racial, sexual, etc.

– Fome intelectual insaciável. Raramente são adeptos à muitas inovações tecnológicas, preferindo uma vida distante de prazeres materiais.

– Misticismo. (Fonte: Wikipedia)
 
Drogas

 
Quando se fala em “hippies”, muitas pessoas logo associam a filosofia as drogas sem ao menos entender os motivos históricos por trás disso.

Na década de 60, era comum que hippies utilizassem drogas como maconha, haxixe, e alucinógenos como o LSD e psilocibina (alcalóide extraído de um cogumelo), visando a “liberação da mente”. Porém muitos consideravam o cigarro feito de tabaco como prejudicial à saúde. O uso da maconha era exaltado também por sua natureza iconoclasta e ilícita, mais do que por seus efeitos psico-farmacêuticos. (Fonte: Wikipedia)
 
O lema e o símbolo

O lema “Paz e Amor” sintetiza bem a postura política dos hippies, que constituíram um movimento por direitos civis, igualdade e anti-militarismo nos moldes da luta de Gandhi e Martin Luther King, embora não tão organizadamente.

O símbolo da paz foi desenvolvido na Inglaterra como logo para uma campanha pelo desarmamento nuclear, e foi adotado pelos hippies americanos que eram contra a guerra nos anos 60. (Fonte: Wikipedia)
 
Kombi

 
“Hippie que era hippie não ligava para carro. Afinal, era contra o consumismo e andava a pé, com suas sandálias de couro. No máximo, gostava de rodar de Fusca ou Kombi.

Um ícone para a Volkswagen e para uma legião de pessoas em todo o mundo. Nos Estados Unidos, na década de 60, a Kombi era utilizada pelos “hippies” como uma espécie de veículo albergue. Milhares delas eram vistas nas praças americanas, servindo de residências móveis para o pessoal itinerante daquela geração.
 

A Kombi, conhecida originalmente como Volkswagen tipo 2, tem um longo retrospecto como plataforma móvel para protestos. Foi desenvolvida com base no famoso sedan Volkswagen, o Fusca, e foi produzida em sua forma original até 1979.

No final dos anos 60, se tornou uma alternativa evidente ao carro de família. Era o veículo perfeito para que irmãos e irmãs unidos no espírito do movimento se deslocassem estrada afora.” (AutoClassic)
 
Woodstock

Woodstock Music & Art Fair (conhecido informalmente como Woodstock ou Festival de Woodstock) foi um festival de música realizado entre os dias 15 e 17 de agosto de 1969 nafazenda de 600 acres de Max Yasgur na cidade rural de Bethel, no estado de Nova York, Estados Unidos. Anunciado como “Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música”, o festival deveria ocorrer originalmente na pequena cidade de Woodstock, mas os moradores locais não aceitaram, o que levou o evento para a pequena Bethel, a uma hora e meia de distância.

 
10.the-long-road-to-woodstock-two-stubs-of-a-three-day-ticket-flickr_large

O festival exemplificou a era hippie e a contracultura do final dos anos 1960 e começo de 70. Trinta e dois dos mais conhecidos músicos da época apresentaram-se durante um chuvosofim de semana defronte a meio milhão de espectadores. Apesar de tentativas posteriores de emular o festival, o evento original provou ser único e lendário, reconhecido como um dos maiores momentos na história da música popular.

O evento foi capturado em um documentário lançado em 1970, Woodstock, além de uma trilha sonora com os melhores momentos.
 

Tumblr_m26pbw0uxm1qz4d4bo1_500_large

Jimi Hendrix

Este influxo repentino provocou congestionamentos imensos, bloqueando a Via Expressa do Estado de Nova York e eventualmente transformando Bethel em uma “área de calamidade pública”. As instalações do festival não foram equipadas para providenciar saneamento ou primeiros-socorros para tal multidão, e centenas de pessoas se viram tendo que lutar contra mau tempo, racionamento de comida e condições mínimas de higiene.

Embora o festival tenha sido reconhecidamente pacífico, dado o número de pessoas e as condições envolvidas, houve duas fatalidades registradas: a primeira resultado de uma provável overdose de heroína, e a outra após um atropelamento de trator. Houve também dois partos registrados (um dentro de um carro preso no congestionamento e outro em um helicóptero), e quatro abortos.

 

155960_411594098907524_30031982_n_large

 
Ainda assim, em sintonia com as esperanças idealísticas dos anos 60, Woodstock satisfez a maioria das pessoas que compareceram. Mesmo contando com uma qualidade musical excepcional, o destaque do festival foi mesmo o retrato comportamental exibido pela harmonia social e a atitude de seu imenso público. (Fonte: Wikipedia)

 

 

E aí, gostaram? Espero que sim. Aguardem a parte 2. Enquanto isso,  que tal deixar sua opinião nos comentários? 😉

Até logo (: xx

Anúncios

9 comentários sobre “Estilo: Hippie

  1. como assim ‘aguardem a parte 2’. Po Sara!UAHUSHAUSHUAHSUAHSUASHUAH
    adorei o tema,a história,tuuuudo.quero ve oq vc vai falar do movimento musical dessa época,vamos ve se vc não vai falar só de Beatles,Doors,Hendrix e Joplin hahahaha
    vc comentou q alguns dos lemas deles era o ‘power to the people’,John Lennon tem uma música com esse nome,escute q vc vai gostar 🙂

    bjs e estou esperando a parte 2!

  2. Post interessantíssimo. Muitas pessoas associam de cara os hippies com “desleixo” e “vadiagem” (o que convenhamos, de certa forma é verdade rs), mas não compreendem o contexto social dessa época e tampouco acatam algumas mensagens lindas da ideologia desse grupo, resumida no slogan “paz e amor”, “power to the people” e -para mim- “all you need is love”. A Mary tem razão, tá faltando uma parte sobre música 😄 Essa power to the people meio que fazia parte do movimento, e tem outra música clássica do Lennon que se chama “give peace a chance”.

    Beijinhos, Vickawaii =*
    http://finding-neverland.zip.net

  3. adorei esse post, saber um pouco mais sobre a cultura deles, pq preferem maconha ao invés do cigarro e também um pouco mais sobre o símbolo da paz e do amor.
    Post maravilhoso parabéns ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s