Música: Comedown Machine

Oi, como vai você?

Mais de um mês sem postar… eu sei. Não consegui postar nem o Monthly de março, mas como foi um mês paradinho, vou juntar com o de abril e fazer um post só. Andei beeeeem ocupada ultimamente. No Monthly (que sai dia 31 de abril) eu conto mais pra vocês. 😉

Bom, hoje eu vim falar de coisa boa. Oficialmente, dia 26 de março foi lançado o 5º disco dos meus bebês: The Strokes (pra quem não conhece, já fiz um post sobre a banda, AQUI!).
 
O CD

 Com muitos samples, riffs e sintetizadores,  apresento-lhes o Comedown Machine, que foi gravado pela RCA Records (é, essas três letrinhas na capa… é o último CD que eles vão gravar na RCA).

Para quem esperava um novo “Is This It”, a decepção foi grande. Para quem esperava algo inovador (o que é a cara dos Strokes), a felicidade foi maior ainda. O Comedown é estranho, punk e bem atrevidinho sim, mas em um bom, ou melhor, ótimo sentido. Tem várias referências dos anos 70 e 80 e algumas músicas até dão certo vontade de… dançar. É.

 

Track-by-track

 

01 – Tap Out: foi ótima forma de começar o CD. No comecinho, você pensa que vai ouvir algo do First Impressions Of Earth, já que temos uma pequena amostra de guitarra… só que não. Tap Out é uma música gostosa de se ouvir e o refrão… é uma delícia. Gruda na cabeça.

 

02 – All The Time: o primeiro single do Comedown e a segunda música a ser disponibilizada no site antes do lançamento do disco, YAY. Quem é fã, sabe como é ficar com os olhos cheios de lágrimas ao ouvir Strokes tocando TODA HORA (All The Time… sacou a piadinha? Tá, parei.) nas rádios ou passando na MTV. Sim, exatamente, All The Time já tem um clipe, e  tem pedaços dos clipes de You Only Live Once, Reptilia, Last Nite e Modern Age, além de várias partes de shows (incluindo a participação deles no Festival Planeta Terra, em 2011… AQUI NO BRASIL!), com direito a até o Nikolai coberto por uma bandeira do Brasil (02:28). *-* Sim, eu fico arrepiada vendo o clipe… confesso. All The Time é um amor.

 

03 – One Way Trigger: só uma palavra pra essa música? POLÊMICA, hahahaha. OWT foi a primeira música a ser disponibilizada no site antes do lançamento do Comedown e cara… de primeira, eu O-D-I-E-I. Mesmo mesmo. Pra mim, o Julian estava fazendo cosplay do Nyan Cat em cima de uma batida de tecnobrega. Mas… é Strokes, e Strokes nunca foi uma banda muito normal (tanto é que nenhum fã de Strokes é normal…). O Julian ABUSA de falsetes sim, afina a voz sem dó, principalmente na primeira parte da música e nos refrões. Depois de quase um mês do lançamento que eu estou começando a gostar dela. É bem… contagiante.

 

 

04 – Welcome to Japan: é beeeem Strokes, lembra uma batidinha disco e  tem uma letra bem interessante. What kind of asshole drives a Lotus?

 

05 – 80’s Comedown Machine: leeeeenta. Bem… lenta. Porém boa, melancólica e saudosista. Lembra um David Bowie de 1980.

 

06 – 50/50: essa é MUITO, MUITO, MUITO Strokes, principalmente pela guitarra. O Nick e o Albert (guitarristas) simplesmente brilham em 50/50, mostrando a essência dos Strokes que sempre vai existir, independente de qualquer mudança. O comecinho me lembra “Can’t Stop”, do RHCP. É minha 2ª favorita do Comedown.

 

 

07 – Slow Animals: o comecinho lembra 15 Minutes (First Impressions of Earth). Eu A-M-E-I o refrão. Slow Animals até ganhou uma versão mais rápida, chamada de Fast Animals, que pode ser encontrada no vinil e na versão japonesa do Comedown.

 

08 – Chances: quem gosta Machu Picchu (Angles), sorriu com o começo de Chances. Mais uma música gostosinha de se ouvir e… o Julian também dá uma de soprano nessa.

 

09 – Partners In Crime: minha preferida EVEEEEEEEEEEEEEEER do Comedown, meu nenê, meu, meu, meu. HAHAHA ♥ Baladinha dos anos 80. Quando eu ouvi pela primeira vez, imaginei essa música na abertura de Skins (o seriado)… não sei porque, hahaha. É absolutamente “Strokes” e tem bastante guitarra… é amor, é carinho, é tudo. Ou você gosta ou odeia… é bem simples.

 

 

10 – Happy Ending: apesar de muita gente achar que não, PRA MIM (p~r~a m~i~m, p-r-a m-i-m) lembra “Holiday – Madonna” sim. Tem alguma coisinha semelhante. Tem partes dançantes. Curti.

 

11 – Call It Fate, Call It Karma: pra mim, é a mais sexy do CD. Meio sambinha, meio bossa… me sinto em um filme em preto e branco ouvindo essa música. O Julian faz cosplay de soprano de novo e eu sinto que é uma mulher cantando o refrão mas… gostei, gostei. É lounge, é relaxante. Fechou com chave de ouro.

 

Aqui vai o CD inteiro para vocês tirarem suas próprias conclusões:

 

E aqui o clipe de All The Time. ♥

 

Espero que tenham gostado!

 

Até logo (: xx

Anúncios

Um comentário sobre “Música: Comedown Machine

  1. Oi Sarinha. 🙂 Ainda não ouvi esse CD, e confesso que depois do anterior, tenho ficado meio decepcionada com Strokes… Acho que já foi melhor, hihi, saudades You Only Live Once. E depois de tudo o que eu li também… Enfim, não sei, não sei… Vai que.. Né? 🙂 Boa semana! Beijos. http://www.heyliih.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s